12/02/2018

Imagem mais distante obtida a partir da Terra

New Horizons captura imagens recorde no Cinturão de Kuiper

A nave espacial New Horizons da NASA recentemente apontou sua câmera telescópica em direção a um campo de estrelas, capturou uma imagem - e fez história.

O quadro de calibração de rotina do agrupamento de estrelas galácticas abertas  "Wishing Well", feita pelo Long Range Reconnaissance Imager (LORRI) em 5 de dezembro, foi capturado quando a New Horizons estava a cerca de 3.79 bilhões de milhas (6,12 bilhões de quilômetros, ou 40,9 unidades astronômicas) da Terra - tornando, por algum tempo, a imagem mais distante a partir da Terra.
A New Horizons estava ainda mais longe do que o Voyager 1 da NASA quando capturou a famosa imagem "Pale Blue Dot" da Terra. Essa foto fazia parte de um conjunto composto de 60 imagens do sistema solar vistas antes, em 14 de fevereiro de 1990, quando a Voyager estava a 3,75 bilhões de milhas (6.06 bilhões de quilômetros, ou cerca de 40.5 unidades astronômicas [UA]) da Terra. As câmeras da Voyager 1 foram desligadas pouco depois desse retrato, deixando o seu recorde de distância sem oposição por mais de 27 anos.

LORRI quebrou seu próprio recorde apenas duas horas depois com imagens dos objetos no Cinturão de Kuiper, 2012 HZ84 e 2012 HE85 - demonstrando ainda como nada está parado quando você está cobrindo mais de 700,000 milhas (1,1 milhão de quilômetros) de espaço por dia.

"New Horizons tem sido uma missão dos primeiros - primeiro a explorar Plutão, primeiro a explorar o Cinturão de Kuiper, a nave espacial mais rápida já lançada", disse o investigador principal dos New Horizons, Alan Stern, do Southwest Research Institute em Boulder, Colorado. "E agora, conseguimos fazer imagens mais distantes da Terra do que qualquer nave espacial na história".

Distância e Velocidade

New Horizons é apenas a quinta nave espacial que acelera além dos planetas externos, muitas das suas atividades definem registros de distância. Em 9 de dezembro, realizou a manobra de correção de curso mais distante, já que a equipe da missão guiou a nave espacial para um encontro próximo com um KBO chamado 2014 MU69 em 1 de janeiro de 2019. Esse vôo de ano novo, passado MU69, será o encontro planetário mais distante da história, acontecendo a um bilhão de milhas além do sistema Plutão - que a New Horizons explorou recentemente em julho de 2015.

Durante sua missão extendida pelo Cinturão de Kuiper, que começou em 2017, a New Horizons pretende observar pelo menos duas dúzias de outros KBOs, planetas anões e "Centauros", antigos KBOs em órbitas instáveis ​​que atravessam as órbitas dos planetas gigantes. Os cientistas da missão estudam as imagens para determinar as formas e propriedades das superfícies dos objetos e para verificar as luas e os anéis. A espaçonave também está fazendo medições quase contínuas do ambiente de plasma, poeira e gás neutro ao longo de seu caminho.

A nave espacial New Horizons está saudável e atualmente está em hibernação. Os controladores de missão no Laboratório de Física Aplicada Johns Hopkins em Laurel, Maryland, trarão a nave espacial para fora do seu sono eletrônico em 4 de junho e começarão uma série de check-outs do sistema e outras atividades para preparar New Horizons para o encontro MU69.

(Texto traduzido e adaptado)
FONTE: NASA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Estudando o Universo - 2017. Tecnologia do Blogger.